segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Lembrar, perseverar e seguir em frente!! 14 de novembro - Dia Mundial do Diabetes

Por Marcos, Pai da Jujuba.

Para os que acompanham o BLOG, o aumento na distância entre as publicações de novos textos pode ter dado a falsa impressão de que estejamos ausentes deste espaço. Mas posso assegurar que é apenas uma impressão. Quando iniciamos as primeiras postagens, não sabíamos exatamente o que iria ocorrer. A vontade de compartilhar experiências e encontrar pessoas que também estavam na mesma situação e compreendiam as dificuldades de nossa rotina, serviu de combustível para as primeiras incursões nesse mundo.

Lidar com o novo e todas as suas mudanças (e medo do desconhecido) não é fácil para ninguém. Explicar repetidas vezes a mesma coisa, descrever a rotina e cuidados, torna-se cansativo, embora sempre necessário. Nos últimos anos, a cada ciclo escolar, com novos professores, a cada nova atividade esportiva ou aulas extraclasse, experimentávamos novamente a sensação do desconhecido e do receio da adaptação. Até aqui tivemos sorte de encontrar profissionais competentes e dedicados, que souberam compreender as necessidades de nossa pequena e que assumiram o papel de facilitadores da inclusão que todo educador deve exercer.

Cada postagem que recebemos registrando que o Jujuba Diabética serviu como fonte de inspiração ou alento num momento difícil, renova nosso desejo de continuar por aqui, comentando pequenas vitórias, erros, dificuldades e acertos que conformam as experiências de todos os pais de pequenos diabéticos. Que possamos sempre carregar a luz da esperança e do otimismo, contribuindo para iluminar, na medida de nossas possibilidades, aqueles que necessitam, pois, cada mensagem é sempre um caminho de mão dupla, sendo gratificante aprender e descobrir novos olhares e opiniões.

O tempo vai passando, nossos pequenos crescem numa velocidade mais rápida do que percebemos. Pior, nem sempre nos damos conta disso. Novos desejos, opiniões que até pouco tempo não existiam...  A conquista da autonomia na rotina diária do tratamento aos poucos vai migrando dos pais para os nossos docinhos, mas nem por isso o dever de cuidar se torna mais fácil, pois surgem outros desafios.

Aprendemos com o tempo que o mais difícil é integrar o diabetes na rotina, tornar os cuidados diários mais um dos muitos afazeres e obrigações, não deixando a doença definir nossas vidas, personalidade ou comportamento. Afinal, não se trata de uma condição transitória, mais um estado permanente, que depende de uma perspectiva multidisciplinar e integral para garantir o bem-estar do paciente e de todos que estão à sua volta.

O desafio do cotidiano, quando “entramos no automático” é não esmorecer, negligenciar na contagem de carboidratos, na realização dos exercícios físicos, na constante leitura e interpretação de rótulos de alimentos, resistindo à constante tentação de sempre buscar um “evento especial” que justifique excessos.

Recentemente participamos de um evento promovido pela Roche que reuniu diversos Blogueiros para um encontro bem diferente: nada de teclados ou monitores, smartphones em segundo plano, para dar espaço para panelas e temperos.

Durante a manhã, aprendemos receitas, trabalhamos em equipe para garantir nosso almoço, e fomos convidados a pensar sobre a importância da alimentação na rotina de todo diabético. Planejar o que fazer, onde (e o que) comer, também se torna essencial para atingir um bom controle.

E cada vez mais existem ferramentas tecnológicas que ajudam na gestão da rotina do diabético, tanto no que se refere a contagem de carboidratos (Saiba mais clicando aqui) quanto na qualidade do monitoramento da glicemia. Neste ponto, sobretudo em relação a crianças com diabetes, a tecnologia se torna uma grande aliada na gestão em “terceira pessoa” do controle da doença. Se você já acha difícil lembrar de tomar seus remédios ou fazer seu monitoramento, experimente ter que lembrar, de domingo a domingo, não importando se dia útil ou feriado, durante 365 dias por ano, que é preciso cuidar do outro, nos mesmo horários, observando como se alimenta, calculando doses de insulina...


Se não podemos “tirar férias” da doença, é importante manter a motivação, entender que o diagnóstico também impacta na rotina dos familiares, que não é fácil entender a complexidade do ajuste do tratamento, em especial para que não participa do cotidiano de uma criança diabética.

Por isso, é preciso lembrar sempre, perseverar todos os dias e seguir em frente. Dias melhores virão.

2 comentários:

  1. Perseverar sempre!!!!porque a gente cuida hj pra ser feliz hj, amanhã e depois, depois, depiis

    ResponderExcluir
  2. Verdade, é uma luta diária...mas a gente vai aprendendo e se sentido cada dia mais fortes com amigos que vamos fazendo nesta caminhada, assim como vocês que foram minha referência e ponto de apoio. Blog que amei, desde o inicio de tudo, onde encontrei varias respostas, e acima de tudo carinho!

    ResponderExcluir