sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

A importância da solidariedade

Descobri na semana passada que uma amiguinha que estudou com Julia na primeira escolinha que ela estudou (aquela escola que ela não se adaptou nem a escola a ela) com a mesma idade de Juju, descobriu que tem diabetes...  Fiquei passada com a coincidência... Já é difícil em nossa cidade acharmos crianças pequenas com diabetes, e de repente, uma da mesma idade, da mesma salinha da Julia, que a mãe acompanhou todo inicio, toda adaptação..... É realmente muuuuita coincidência!!!! 
Soube já tarde da noite de um domingo, e nessa noite nem consegui dormir direito pensando na mãe da criança... Parece que todo um filme passa novamente em nossa cabeça... A angustia aflora novamente.... e quase não me contive de esperar o outro dia de manhã para prestar minha solidariedade à mãe, e me mostrar a disposição para qualquer duvida, conversa, ou qualquer coisa que seja...
A importância da palavra amiga numa hora dessas é muuuuito importante!!!! É marcante!!!!
Queria eu ter tido alguém, ou alguma mãe com mais experiência que eu,  que me acalmasse na hora que descobrimos tudo, e que de alguma forma dissesse: "Não se preocupe amiga, vai ficar tudo bem!"
Acho que de repente pode fazer toda diferença!!!
Como não tive essa oportunidade, passei a dar essa oportunidade para os outros... 
Toda vez que descubro que alguém que conheço ou que posso ter acesso descobre diabetes em um filho, faço questão de ligar, conversar e me deixar sempre a disposição para o que precisar...
Essa solidariedade se tornou algo muito importante em minha vida... Na verdade fundamental.... 
E daí se deu a existência desse blog...

Li esse texto a uns dias, e compartilho ele com vcs....
Um beijo em todos!!!!!

Solidariedade, onde andas?
Luiz Maia
A solidariedade é, sem sombra de dúvidas, a forma maior de alguém expressar o seu amor. Solidariedade é coisa fina e rebuscada. É sentimento nobre. É comum nas grandes tragédias, quando se vê o espírito de solidariedade impregnado em cada rosto anônimo, em cada gesto esboçado na vã tentativa de poder reverter tal acontecimento. Ninguém nesse mundo foi tão solidário às pessoas quanto Jesus. Ensinou-nos a repartir o pão. Mostrou-nos como devemos ser solidários aos mais fracos e oprimidos. E como se isso não bastasse, atingiu o ponto máximo da solidariedade quando em nosso lugar morreu na cruz. Portanto, foi Jesus Cristo aquele que melhor encarnou o espírito de solidariedade, durante todo tempo em que veio pregar o Evangelho entre os homens. 
Nos anais da história é fácil encontrar exemplos de pessoas que fizeram desse sentimento uma bandeira de luta, uma razão de vida. Casos de homens e mulheres que doaram parte de suas vidas sendo solidários a uma causa, transformando a vida de muitos, são comuns de se ver. Acontece, aconteceu e continuará a acontecer. É um fato insofismável e digno de louvor. 
Como é bom saber que existem pessoas que se preocupam conosco, que lutam em nossas trincheiras e fazem dessa luta sua também. É fácil notar pessoas que lutaram uma vida inteira, tendo como premissa o bem comum da coletividade. Sonhadores, pensadores, guerrilheiros, poetas, escritores, políticos, cientistas e gente do povo, cada um na sua área e no seu front, são exemplos puros e fiéis de humanistas devotados e comprometidos com os princípios básicos do cristianismo. 
Alguém poderá até pensar que um mero guerrilheiro não estaria em nada sendo solidário em suas ações. Pois bem, para citar apenas o mais famoso deles, Che Guevara, dele sabe-se que foi um fiel cumpridor dos sonhos libertários de um povo. Pugnou sempre pela causa da libertação dos povos das américas. Morreu abraçado à causa de libertação de povos que secularmente vivem debaixo do jugo do imperialismo. Como negar ou omitir ter sido ele uma pessoa investida do mais profundo sentimento de solidariedade humana? Com sua morte, deixou todo um legado de luta pelos mais fracos, oprimidos e excluídos do planeta. É bom lembrar que, ao lado de Fidel Castro, liderou uma revolução redentora em Cuba, livrando aquele povo das garras do ditador Fulgêncio Batista. Galgou o cargo de Ministro da Defesa de Cuba, permanecendo nele apenas pouco mais de um ano, donde seguiu para dar prosseguimento ao seus sonhos libertários, vindo a falecer no ano de 1967, nas cerradas matas bolivianas. Quem chega em Havana, pode visualizar um pensamento dele, na entrada da cidade, que diz assim: "Entre os homens sós e desesperados surgem facilmente os mais elevados sentimentos de solidariedade e lealdade humanas." 
O mundo está cheio de exemplos de pessoas que são a própria solidariedade personificada, que são verdadeiros tesouros, que fazem desse sentimento bússola para o seu caminhar. Ninguém de sã consciência pode negar isso. Inclusive, sou defensor da tese de que todo homem nasce bom, vindo alguns a se tornarem empedernidos face à maldade que sempre absorveram ao longo de suas vidas. Não se nasce mau. Aprende-se a ser vivendo e comungando com quem assim já o é. Claro que para toda regra existem as exceções. Ainda bem que é assim. 
Agora, o que fica bem visível diante de nós, é a escassez desse sentimento entre as pessoas, nos últimos tempos. Lamentamos que o homem esteja tão envolvido, apenas e simplesmente, com os seus problemas e suas necessidades básicas. Parece não sobrar mais tempo para o outro. Os vizinhos quase não se conhecem mais, parecendo até que todos preferem viver em total anonimato. Um simples "bom-dia" nas grandes cidades virou artigo de luxo. E o pior nisso tudo é que passou a ser comum. De tão comum que é já passou a ser normal. É uma pena que seja assim. A luta do dia-a-dia tornou as pessoas frias e calculistas. O que se vê é uma grande massa a correr pela sobrevivência, tornando-se todos autênticos equilibristas. Pior que isso: todos vivem a crueza fria da competição. E dessa realidade extraímos que todos parecem ser meros inimigos. Em meio a tudo isso, vemos ainda "ilhas" de pessoas a desenvolverem tão salutar sentimento pelo próximo. Enquanto pessoas assim ainda viverem, sem dúvida alguma, irão nos poupar de perguntar: "Solidariedade, onde andas?"

4 comentários:

  1. Carolina,
    Vi que está seguindo o Recanto das Mamães blogueiras e vim te dá boas vindas.
    Bjs, mamãe Genis.

    http://mamaegenis.blogspot.com/
    http://www.blogdagenis.blogspot.com/
    http://recantodasmamaesblogueiras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Ana Paula e Ivo Alvarez13 de dezembro de 2010 09:42

    Carol,

    Parabéns pelo Blog, desde do dia que soubemos realmente passamos a viver e pensar em tudo isso que você publicou e fala, mas a solidariedade realmente aparece de todos os lados, acho que vai ser muito bom a convivência de Júlia e Bia, e realmente que grande coincidência, mas nada é por acaso na vida...tudo já está traçado.
    Um grande beijo!

    ResponderExcluir
  3. OLHA SÓ,NÓS PASSAMOS POR ISSO A MAIS OU MENOS UM MÊS,NA ESCOLA TODA SÓ HAVIA O WENDEL COM DIABETES,AI DE UMA HORA PRA OUTRA UM AMIGUINHO DA SALA INTERNOU E NÓS DESCOBRIMOS QUE ELE TAVA COM DIABETES,EU TAMBÉM ACHEI MUITA COINCIDENCIA,AGORA TEMOS DOIS DA MSM SALA COM DIABETES,COINCIDENCIAS ACONTECEM,BJOS!!!!!!

    ResponderExcluir